peritos     honorarios     ferramentas     inscrição     formação     reclamação    

A tomada de posse dos novos Órgãos Sociais, relativo ao biénio de 2016-2017, aconteceu no passado dia 9 de Março, na sede da APAE, pelas 17h.

 

 


 

Discurso do Presidente da APAE, na tomada de posse, para o exercício do Biénio 2016/17

 

Boa tarde!

Caros Sócios,

Caros colegas dos órgãos sociais que hoje tomaram posse,

Caros colegas dos órgãos sociais que hoje terminaram o seu mandato,

Senhoras e Senhores.

Caros amigos, com esta pequena e singela cerimónia, foi dada posse aos novos titulares dos órgãos sociais da APAE para o biénio 2016/17, e com essa posse assumimos a responsabilidade de liderar a nossa associação no respeito e promoção da sua missão, no cumprimento dos seus estatutos, na obediência ao seu regulamento deontológico, e sobretudo na procura constante de promover a defesa e a melhoria da qualificação dos nossos associados.

Gostaria, no entanto, de fazer um parentese prévio, para na pessoa do nosso colega e caro amigo, Eng.º Martins do Vale, Presidente da direção cessante, agradecer o excelente trabalho que a sua direção e todos os titulares dos outros cargos; Mesa da Assembleia geral, do Conselho fiscal e Conselho geral efetuaram nos últimos dois anos, o que nos vai permitir partir para o mandato que agora começa com uma confiança redobrada, e com a certeza de que é possível continuar a senda de progresso que tem vindo a acompanhar a vida da APAE desde o seu nascimento, já lá vão cerca de 25 anos.

Gostaria de lembrar aqui, que aos colegas que agora cessam funções, lhes é devido não apenas o reconhecimento pelas tarefas de elevado mérito que desempenharam em prole da promoção da APAE, situação facilmente comprovada pela adesão de um número substancial de sócios, a que acresce o facto de terem levado a cabo a realização de um congresso em Outubro de 2014, além de terem promovido varias ações de formação, matérias que se reconhece serem de extraordinária importância para o cumprimento da missão da APAE.

Assim, aqui fica exposto e devidamente assinalado, o nosso sentido bem-haja pelo esforço e dedicação dos membros da direção cessante a esta casa, e ainda pelos resultados conseguidos.

 

Caros colegas, caros amigos presentes,

Hoje começa não um novo dia para a APAE, não uma nova direção, mas apenas o exercício de uma direção com titulares diferentes, também ela empenhada em continuar a promover o bom nome da nossa associação, e em tentar ampliar tanto quanto possível a projeção e importância que a APAE tem já na sociedade Portuguesa.

 

Permitam-me, para o efeito, que recorde aqui neste momento, algumas das linhas orientadoras consignadas nos estatutos da APAE, fazendo referência particular aos artigos 3º e 4º, quanto aos seus objetivos e à forma de os concretizar:

Artigo 3º

São objetivos da APAE:

1.A representação e defesa dos seus associados e o estímulo para uma acção deontologicamente dignificante;
2.O desenvolvimento em bases técnico-científicas, do domínio das avaliações de engenharia;
3.O apoio, a promoção, a regulamentação e a representação da actividade das avaliações de engenharia a nível nacional e nas suas relações com o exterior;
4.A promoção e a qualificação dos seus membros, incluindo a certificação.

Artigoº 4º

Para a concretização dos objectivos expressos no artigo anterior a APAE procurará:

Defender os interesses dos seus associados, nomeadamente no campo social, cultural e profissional, promovendo o reconhecimento do valor da sua profissão na sociedade;
Promover cursos, publicações, congressos, seminários, palestras e conferências no âmbito da Avaliação em geral e das Avaliações de Engenharia em particular;
Reunir e colocar à disposição dos seus membros informação actualizada e meios de acção adequados à sua actividade;
Desenvolver contactos e cooperar com associações congéneres nacionais e estrangeiras, promovendo designadamente a federação em organismos que prossigam os mesmos objectivos;
Realizar outras actividades que promovam a qualidade das Avaliações de Engenharia em Portugal;
Desenvolver quaisquer outras atividades que a Direção ou a Assembleia Geral deliberem e que se integrem no âmbito dos seus objetivos.

 


 

Caros colegas, tendo em conta a missão da APAE devidamente plasmada na citação dos dois artigos atras referidos, entende esta direção que as ideias força que devem modular a sua orientação para o próximo biénio, se deverão centrar na procura dos meios necessários e ao seu alcance, para proporcionar aos peritos;
- O conhecimento profundo de todos os instrumentos técnicos e legislativos, como pressupostos base para uma fundamentação credível do ato avaliatório;
- O fomento da ética e deontologia profissionais como garantes da independência e transparência na avaliação;
- E a promoção generalizada do debate de ideias como princípio de aprofundamento do conhecimento e da experiência tão necessárias à atividade da avaliação.

Deste modo, e como forma de atingir estes objetivos enunciarei a seguir, sucintamente, alguns assuntos que deverão constituir prioridade para esta direção na vigência do seu mandato:

1 - A primeira, que é também a mais premente, consistirá no acompanhamento e desenvolvimento dos pontos em agenda que transitam da direção cessante, e que pela importância e peso que têm na atividade dos nossos peritos nos irão merecer a atenção condizente.
Estão em causa, designadamente, os contatos com a CMVM, BP, APS, AT, MJ, CPCI, IRHU, etc...

Com as entidades referidas será tomada de imediato uma atenção especial, não apenas porque essa exigência decorre de contatos que foram iniciados pela anterior Direção, e que será necessário continuar, mas fundamentalmente porque da sua boa condução, resultarão vantagens significativas para os associados da APAE.

2 - Como segunda prioridade, esta direção propõe dedicar uma atenção particular ao desenvolvimento de uma cultura de proximidade com todos os sócios da APAE, na procura e auscultação dos seus principais anseios e no desenho de soluções que se entendam responder às carências manifestadas.
Nessa conformidade, a direção irá fazer o esforço necessário para se concentrar no desenvolvimento de algumas ações que considera críticas para atingir esses objetivos.
De entre estas pode destacar-se; a formação, o debate de ideias, a partilha de experiências, de informação, etc.

A forma de realização destas ações poderá seguir caminhos diferentes, ou de matriz presencial, que consistirá na realização de debates eventualmente mensais na sede da APAE, com escolha de temas e de convidados que se disponham a colaborar nestes eventos.

Outro caminho poderá passar pela utilização de meios informáticos que convoquem os nossos associados à utilização destes meios, não apenas para a aquisição de conhecimento, mas também como ferramentas úteis às suas atividades profissionais, desenvolvendo uma cultura de colaboração com benefícios acrescidos para a APAE e os seus membros.

Existem, no entanto, custos associados a estes desenvolvimentos, que deverão ser devidamente equacionados e ponderados no sentido da obtenção de um compromisso entre o custo, a amplitude e o foco, como solução para a aquisição da maior vantagem competitiva a implementar.

Na área informática e apesar do que foi dito, devemos avançar desde já no sentido da reestruturação e melhoramento do sítio da APAE com o objetivo de promover mais informação e interação dos sócios, promover a atualização e reconfiguração da base de dados de peritos, e sistema “online” de pesquisa de peritos, como ferramenta de promoção e publicitação dos mesmos peritos.

Manter-se-á, naturalmente, a publicação regular de notícias no domínio da avaliação e património imobiliário, para o que se convidam, mais uma vez, todos os sócios a propor assuntos e artigos que queiram publicitar, designadamente através da Newsletter.

Noutra vertente, não menos importante, esta direção propõe-se estar atenta e estudar todas as oportunidades que possam estar ligadas às funções de perito avaliador, ampliando o seu core business, designadamente no que se refere às arbitragens e peritagens, um caminho que deve ser trilhado com consistência o mais rapidamente possível, a par de outros que revelem potencial adequado.

Ao nível ainda da formação, deverá oportunamente ser elaborado e proposto um programa anual na forma de cursos ou de colóquios temáticos, bem como, e logo que possível estabelecer ligações e protocolar parcerias com diferentes entidades especializadas em formação e ou com interesse para os associados da APAE.

De igual modo tentaremos também manter no radar desta direção, o relacionamento com as instituições internacionais do sector, procurando proporcionar aos associados da APAE, com esta proximidade, as mais-valias e conhecimento inerentes às suas funções.

Outro assunto a que devemos dedicar alguma atenção, tem a ver com as condições do seguro de atividade dos sócios, tentando aproveitar a dimensão/escala que o aumento do número de sócios poderá proporcionar, para tentar melhorar este instrumento de segurança.

Por fim, aproveitando a publicação da Lei 153/2015, e dando seguimento a uma questão já por diversas vezes trazida à ordem do dia na agenda da APAE, iremos tentar, em colaboração muito próxima com todos os órgãos sociais, promover:

- A revisão dos Estatutos da APAE;
- A revisão do Regulamento de Deontologia;
- A revisão das normas de admissão e qualificação dos sócios.


 

Caros colegas, a APAE será aquilo que os seus sócios quiserem, e nesta perspetiva, quanto maior for a participação destes na vida da associação, quanto maior a sua intervenção, quanto mais sugestões surgirem, quanto mais críticas, se construtivas, chegarem á direção, certamente melhor será a resposta desta.

Contamos, pois, com todos, para construir uma APAE melhor e mais participativa, respeitando as opiniões diferentes que, sublinha-se, se devidamente colocadas, ampliarão a massa critica interna, gerando, como reflexo, decisões mais consensuais e assertivas de que todos beneficiarão.

Recordo ainda que, apesar de o nosso país estar a passar por uma grave crise económica, já no que respeita à área core da nossa Associação, este momento e a conjuntura, são talvez determinantes e únicos para assumirmos a posição de protagonismo que o estatuto e importância dos peritos avaliadores, não apenas aspiram, mas desejam ocupar por direito próprio, no nosso desenvolvimento coletivo.
O investimento estrangeiro na área do património não tem parado de crescer nos últimos anos, sendo expetável que a sua continuação siga a logica do mercado, isto é, que dos centros urbanos de maior valor se dirija progressivamente para zonas de menor valor, e no contexto do país se desloque do litoral para o interior, sendo este um fenómeno ou acontecimento para o qual devemos estar preparados.

Resta me por fim, antes de terminar, chamar a atenção para a data festiva do aniversário dos 25 anos da APAE, assunto que será debatido na primeira reunião desta nova direção com o intuito claro de estudar a forma mais correta de gravar esta data, na nossa memória coletiva.

Muito obrigado pela vossa presença.

A. Serra Mendes

lista de orgãos sociais eleitos

 

Endereço

APAE

Rua António Patrício, n.º 26 - r/c

1700-049 Lisboa

phone (+351) 21 792 86 20

phone geral@apae.pt

Subscreva a nossa newsletter